Glossário

A

Acordo da Basileia
Conjunto de regras prudenciais bancárias divulgado pelo Comitê de Supervisão Bancária da Basileia em 1988, com o objetivo de dar maior solidez ao sistema financeiro mundial. Sua principal característica é o requerimento de um percentual mínimo resultante da divisão do capital social de uma instituição financeira por seus respectivos ativos ponderados pelo risco a eles inerentes. O Acordo da Basileia foi implementado no Brasil pela Resolução CMN nº. 2.099, que instituiu valores mínimos de capital realizado e de patrimônio líquido ajustado pelo grau de risco das instituições financeiras brasileiras. Em janeiro de 2001, o Comitê de Supervisão Bancária da Basileia divulgou uma nova versão do Acordo.

Acordo da Basileia II
Revisão das diretrizes e princípios do Acordo da Basileia de 1988, endossado pelo Comitê de Supervisão Bancária da Basileia, em junho de 2004.

Acordo Operacional
Acordo firmado com outra instituição financeira para obtenção de funding.

ANBID
Associação Nacional dos Bancos de Investimento.

B

Banco ou Banco Industrial
Banco Industrial do Brasil S.A.

Banco Central ou Bacen
Banco Central do Brasil.

BID
Banco Interamericano de Desenvolvimento.

BIS
Bank for International Settlements (Banco de Compensações Internacionais).

BNDES
Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social.

BNDES AUTOMÁTICO
Linha de financiamentos do BNDES de até R$10 milhões por cliente, a cada período de 12 meses, para realização de projetos de implantação, expansão, modernização ou relocalização de empresas, concedido por intermédio de instituições financeiras credenciadas.

Bolsas de Valores
Centros de negociação de ações e outros valores mobiliários.

BM&FBovespa
Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros de São Paulo – Bovespa.

C

CAGR
Compound Annual Growth Rate (Taxa de Crescimento Anual Composta).

Caixa Livre
É o resultado da soma dos saldos das contas de Disponibilidades, Aplicações Interfinanceiras de Liquidez, Títulos e Valores Mobiliários e Instrumentos Financeiros Derivativos (carteira própria de curto prazo). O Caixa Livre não está definido pelas práticas contábeis adotadas no Brasil. Tal conceito não possui um significado padronizado e, portanto, a definição de caixa livre do Banco pode não ser comparável ao caixa livre apresentado por outros bancos.

Cartão de Crédito Consignado
Cartão de crédito vinculado a um convênio com o INSS ou entidade empregadora, em que o pagamento é descontado diretamente da folha de pagamento do empregador.

Carteira de Crédito Total
É o saldo das operações de crédito do Banco (ativo circulante mais realizável a longo prazo), registrado no balanço. A Carteira de Crédito Total inclui créditos cedidos com co-obrigação a outras instituições financeiras e exclui os créditos cedidos sem co-obrigação que estão divulgados nas Demonstrações Financeiras do Banco, em notas explicativas.

CBLC
Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia.

CCB
Cédula de Crédito Bancário.

CDB
Certificado de Depósito Bancário.

CDC
Código de Defesa do Consumidor, instituído pela Lei nº. 8.078, de 11 de setembro de 1990.

CDI
Certificado de Depósito Interbancário.

Clientes
Pessoas físicas ou jurídicas que possuem contratos em aberto com o Banco ou com as quais o Banco manteve relações comerciais nos últimos 05 (cinco) anos.

CMN
Conselho Monetário Nacional.

Código Civil
Lei nº. 10.406, de 10 de janeiro de 2002, conforme alterada.

Código de Defesa do Consumidor Bancário
Conjunto de dispositivos em defesa do consumidor bancário, consolidados pelo BACEN por via da Resolução CMN nº. 2.878, de 26 de julho de 2001.

Código de Processo Civil
Lei n.o 5.869, de 11 de janeiro de 1973, conforme alterada.

Código Tributário Nacional
Lei n.o 5.172, de 25 de outubro de 1966, conforme alterada.

 

COFINS
Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social.

Comitê de Crédito
Grupo de trabalho constituído pela Diretoria do Banco para análise, aprovação e posterior acompanhamento dos riscos e garantias das solicitações de linha de crédito, acima de R$600 mil ou de operações sem garantia de recebíveis ou com prazo superior a 180 dias.

Comissão
Percentual do valor de uma transação de Crédito Consignado pago a título de remuneração pelos serviços prestados pelo Correspondente Bancário.

Constituição Federal
Constituição da República Federativa do Brasil.

Convênios
Contratos celebrados com órgãos ou entidades do setor público ou com entidades do setor privado, que autorizam a concessão de crédito consignado aos empregados de tais entidades ou aos beneficiários de pagamentos feitos por tais entidades, conforme o caso, autorizando o desconto em folha de pagamento para amortização dos empréstimos concedidos aos empregados e/ou beneficiários desses órgãos e entidades.

COPOM
Comitê de Política Monetária.

Correspondentes Bancários
Todos os correspondentes bancários do Banco.

Correspondentes Bancários Ativos
Os Correspondentes Bancários com os quais o Banco realizou ao menos uma operação de empréstimo nos últimos 6 (seis) meses.

COSIF
Plano Contábil das Instituições do Sistema Financeiro Nacional.

CPIs
Comissões Parlamentares de Inquérito.

CPMF
Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira ou Transmissão de Valores e de Créditos e Direitos de Natureza Financeira.

CVM
Comissão de Valores Mobiliários.

COAF
Conselho de Controle de Atividades Financeiras.

Crédito Consignado
Operação realizada no âmbito de Convênios firmados com o INSS ou com entidades empregadoras do setor público ou privado, em que o Banco concede empréstimo a aposentado/pensionista do INSS ou a funcionário da entidade empregadora, e cuja liquidação se dá, mensalmente, por via de consignação na folha de recebimento do benefício ou salário.

D

Decreto 4.961:
Decreto n.o 4.961, de 20 de janeiro de 2004, que regulamenta o art. 45 da Lei no 8.112, de 11 de dezembro de 1990, que dispõe sobre as consignações em folha de pagamento dos servidores públicos civis, dos aposentados e dos pensionistas da administração direta, autárquica e fundacional do Poder Executivo da União, e dá outras providências.

Despesas com Comissões
Comissões pagas aos Correspondentes Bancários, contabilizadas no balanço consolidado na conta de despesas de consultoria comercial.

Dívida Subordinada
Dívida não coberta por garantia real ou flutuante.

Dólar norte-americano, Dólar ou US$
Moeda oficial dos Estados Unidos da América.

E

EC 40/03
Emenda Constitucional nº. 40, de 29 de maio de 2003.

Empréstimo do SUS
Operação realizada no âmbito de convênio firmado com o Ministério da Saúde, em que o Banco realiza empréstimos a hospitais contratados ou conveniados ao Sistema Único de Saúde, cuja liquidação dá-se mediante desconto direto dos pagamentos mensais devidos aos hospitais pelo Ministério da Saúde.

EXIM
Financiamento do BNDES à exportação de bens e serviços.

F

FEBRABAN
Federação Brasileira de Bancos.

FGPC
O FGPC, ou Fundo de Garantia para a Promoção da Competitividade, foi instituído pela Lei 9.531 de 10/12/97 e passou a vigorar regulamentado em 06/07/99 pelo Decreto nº 3.113. Trata-se de um fundo criado com recursos do Tesouro Nacional, administrado pelo BNDES, cuja finalidade é garantir parte do risco de crédito das instituições financeiras nas operações de micro, pequenas e médias empresas exportadoras que venham a utilizar as linhas de financiamento do BNDES, especificamente.

FGV
Fundação Getulio Vargas.

FIDCs
Fundos de Investimento em Direitos Creditórios.

FINAME
Linha de financiamento do BNDES para aquisição de máquinas e equipamentos novos, de fabricação nacional, credenciados pelo BNDES, e capital de giro associado para micro, pequenas e médias empresas, concedido por intermédio de instituições financeiras credenciadas.

FINAME LEASING
Financiamento do BNDES, sem limite de valor, à arrendadoras, para aquisição isolada de máquinas e equipamentos novos, de fabricação nacional, credenciados pelo BNDES, e capital de giro associado para micro, pequenas e médias empresas, concedido por intermédio de instituições financeiras credenciadas.

G

Governo, Governo Brasileiro ou Governo Federal
Governo Federal da República Federativa do Brasil.

H

I

IBGC
Instituto Brasileiro de Governança Corporativa.

IBGE
Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

IBRACON
Instituto dos Auditores Independentes do Brasil.

IGP-M
Índice Geral de Preços - Mercado, divulgado pela Fundação Getulio Vargas.

Ibovespa
Um dos indicadores de desempenho do mercado de ações no Brasil. O índice é o valor atual de uma carteira teórica de ações negociadas na BM&FBovespa constituída a partir de uma aplicação hipotética, que reflete não apenas as variações dos preços das ações, mas também o impacto da distribuição dos proventos, sendo considerado um indicador que avalia o retorno total das ações que o compõe.

Índice de Basileia
Índice definido conforme o Acordo da Basileia, implementado no Brasil de acordo com a Resolução CMN 2.099, que compreende um percentual de patrimônio líquido ajustado do valor dos ativos ponderados pelo risco.

Índice de Eficiência
Indicador de despesas sobre receitas do Banco. O Banco Industrial utiliza a seguinte fórmula: despesas com pessoal, tributos, administrativas e outras despesas operacionais líquidas dividido pelo resultado bruto da intermediação financeira (antes da provisão para créditos de liquidação duvidosa) mais receita de prestação de serviços, menos bonificações.

Industrial DTVM
Industrial do Brasil Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda.

INSS
Instituto Nacional do Seguro Social.

IOF
Imposto sobre Operações de Crédito, Câmbio e Seguro, ou relativas a Títulos e Valores Mobiliários.

IPCA
Índice de Preços ao Consumidor Amplo, divulgado pelo IBGE.

ITR
Informações Financeiras Trimestrais.

J

JUCESP
Junta Comercial do Estado de São Paulo.

K

L

M

Mercado para a Distribuição Primária e Secundária
Mercado de balcão não-organizado, no Brasil.

Middle Market
Segundo os critérios do Banco Industrial, é o mercado de crédito a empresas com faturamento anual, preponderantemente, entre aproximadamente R$15 milhões e R$500 milhões.

N

Nível 1 de Governança Corporativa
Segmento especial de listagem Nível 1 na BM&FBovespa, com regras diferenciadas de governança corporativa.

Nível 2 de Governança Corporativa
Segmento especial de listagem Nível 2 na BM&FBovespa, com regras diferenciadas de governança corporativa.

Novo Mercado
Segmento especial de listagem Novo Mercado na BM&FBovespa, com regras diferenciadas de governança corporativa.

NYSE
New York Stock Exchange.

O

P

Patrimônio de Referência
Patrimônio de referência de instituição financeira, conforme estabelecido na Resolução do CMN nº. 3.444, de 28 de fevereiro de 2007.

PIB
Produto Interno Bruto do Brasil.

PIS
Programa de Integração Social.

Placement Facilitation Agreement
Contrato de Colocação Internacional.

Práticas Contábeis Adotadas no Brasil
Princípios e práticas contábeis adotadas no Brasil, em conformidade com a Lei das Sociedades por Ações, as normas e instruções da CVM e os normativos do IBRACON e, em relação ao Banco, adicionalmente, as regras contábeis para instituições financeiras estabelecidas pelo Banco Central.

Pré-Comitê
Comissão composta pelo Diretor Comercial, Diretor Regional ou Gerente Geral, Gerente Comercial e Gerente de Crédito, que tem por objetivo realizar uma análise preliminar do cliente.

Previdência Social
Sistema de proteção social que assegura o sustento do trabalhador e de sua família, quando ele não pode trabalhar em decorrência de doença, acidente, gravidez, prisão, morte ou velhice.

Produto auto-liquidável
O Banco considera os Créditos Consignados um produto auto-liquidável porque, como o pagamento dos empréstimos é descontado diretamente da folha de recebimento do salário ou do benefício previdenciário do tomador do empréstimo, o risco de suas operações está relacionado, em última análise, ao risco de crédito da entidade à qual o tomador encontra-se vinculado.

PROER
Programa de Estímulo à Reestruturação ao Fortalecimento do Sistema Financeiro Nacional.

Q

R

R$, Real ou Reais
Moeda oficial do Brasil.

RAET
Regime de Administração Especial Temporária.

Regra144A
Rule 144A do Securities Act.

Regulamento S
Regulation S do Securities Act.

Regulamento do Nível 1
Regulamento de Listagem do Nível 1 de Governança Corporativa, que disciplina os requisitos para negociação de valores mobiliários de companhias abertas no segmento do Nível 1 da BM&FBovespa, estabelecendo regras de listagem diferenciadas para essas companhias, seus administradores e seus acionistas controladores.

Risco Sacado
Significa o risco de inadimplemento relacionado ao desempenho da carteira de recebíveis do tomador do crédito.

RISKBank
É um sistema de classificação de risco bancário cujo objetivo é classificar e acompanhar sistematicamente o risco e a performance das instituições financeiras no Brasil, de modo a tentar identificar possíveis problemas nas áreas mais sensíveis dos bancos.

S

SEBRAE
Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas

SEC
U.S.Securities and Exchange Commission.

Securities Act
U.S.Securities Act, de 1933 dos Estados Unidos da América, conforme alterado.

SBPE
Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo.

SELIC
Taxa referencial do Sistema Especial de Liquidação e Custódia.

Sistema Financeiro Nacional ou SFN
É o conjunto ordenado de entidades, normas, princípios e operações que formam o mercado financeiro brasileiro. O Sistema Financeiro Nacional é estruturado e regulado pela Lei 4.595, sendo constituído pelo CMN, pelo BACEN, pela CVM, pela SUSEP, pela Secretaria de Previdência Complementar, pelo BNDES e pelas demais instituições financeiras públicas e privadas que operam no Brasil.

Spread
É a diferença entre o custos da captação e da aplicação dos recursos feita pelos bancos.

STR
Sistema de Transferência de Reservas do BACEN.

SUSEP
Superintendência de Seguros Privados.

T

Taxa Básica Financeira
Taxa criada pela Medida Provisória nº. 1.950-65, de 26 de junho de 2000, apurada e divulgada pelo BACEN, segundo metodologia definida na Resolução CMN nº. 3.354, de 31 de março de 2006, e na Circular nº. 2588, de 5 de julho de 1995, do próprio BACEN, conforme alterada.

Taxa DI
Taxa média diária de depósitos interfinanceiros expressa na forma percentual ao ano, calculada e divulgada pela CETIP e expressa em taxa efetiva anual.

TJLP
Taxa de Juros de Longo Prazo, divulgada pelo CMN.

Termo de Anuência dos Administradores
Termo de Anuência de Administradores por meio do qual os novos membros da Administração responsabilizam-se pessoalmente a se submeter e a agir em conformidade com o Contrato de Adesão ao Nível 1 de Governança Corporativa e o Regulamento do Nível 1 de Governança Corporativa.

TR
Taxa Referencial, divulgada pelo Banco Central.

U

V

VaR
Valor em risco, que é geralmente definido como a perda potencial de um dia no valor de mercado da carteira do Banco devido a acontecimentos adversos no mercado com relação às taxas de juros e taxas cambiais, e também com base na análise de probabilidade.

W

X

Y

Z

Última atualização em 2014-04-09T16:58:15

Meus Downloads

Selecione os arquivos de seu interesse no site e gerencie o download.

Arquivos Selecionados

x
Baixar documentos Limpar a lista